quinta-feira, 16 de junho de 2016

16.6.16





A vida recomeça aos 40?
Talvez.





terça-feira, 7 de junho de 2016

em 3 serões






Foram necessários 3 serões para completar a primeira carreira do bordo desta manta.
Não sei ainda de que tamanho vai ficar, nem se será só cinza.
Com alguns apontamentos de cor, com picot, ou só granny?
Ainda não sei.

Sei no entanto, que cada vez gosto mais deste resultado final, acho que ficou com a minha cara.


E por aí, o que têm em mãos?


m

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Quando não os podes vencer...




... junta-te a eles.

Já te disse que agora também me podes seguir no IG??

Espreita aqui.




sexta-feira, 3 de junho de 2016

Coincidência ?!?!




Precisei de comprar calçado pratico e confortável para o dia a dia.
Fui à procura "daquela" marca, que muito apregoa o conforto - e são.
Queria tipo sapato, sem atacadores, e de preferência preto.
Experimentei os pretos, mas não gostei de ver no pé...
Os "coloridos" estavam ao lado, e senti-me automaticamente atraída por eles.

Dias mais tarde, em arrumações, sorri.
Coincidência?!?!







quinta-feira, 2 de junho de 2016

Rota das Linhas no Porto **




** Ou, os adultos também precisam de se divertir...


O dia começou cedo, e adivinhava-se intenso.

 A viagem de ida (e de volta também) foi feita de avião, e ás 6h da manhã já eu e a Paula rumávamos ao aeroporto.

Umas meias começadas pelos ares.


Quando chegamos, já a Naná nos esperava (ficou a faltar o cartaz de boas vindas com os nossos nomes...)

O roteiro estava traçado, e tal como esperado tivemos mais companhias.

A Raquel chegou ainda a tempo do primeiro café, a Sara e a Maria José quase de seguida.

O resto da "história", conta-se em fotos...



Consegues identificar alguns destes locais por onde andamos?

Mas afinal o que fomos fazer ao Porto?
Tagarelar muito, e fazer algumas compras.

Apesar das ameaças de chuva, tivemos um tempo fantástico, mas melhor que o Sol, foram as companhias.

Entre aquelas que estavam "em casa", e as que foram de longe, as que aproveitaram um dia de folga e as que gozaram um dia de férias, ficamos com uma certeza - é para repetir.
Onde e quando?
Ainda não sabemos.

É para a próxima que te juntas a nós?


As minhas compras foram poucas mas TÃAAAOOO lindas.
O que achas que trouxe para casa?

Queres ler outras "versões" desta aventura ?
Espreita aqui, aqui e aqui.




segunda-feira, 23 de maio de 2016

Anatomia de uma meias




Não posso dizer que seja muito experiente a tricotar meias, mas já fiz uns quantos pares.

Já as tricotei com 5 agulhas, com agulhas circulares e com as mini circulares.

À excepção dos dois pares que fiz em tamanho criança, todas as outras foram tricotadas com o mesmo numero de malhas - 60.


Umas do direito e em meia, outras do avesso e em liga. Com agulhas de 2 ou 2,5 mm.
Sei que quando tricoto em liga, tenho tendência a deixar o ponto mais largo que em meia.

Já cheguei a umas quantas conclusões, sobre o meu modo preferido de o fazer, e sobre as diferenças no produto final.

Estas, que foram as ultimas do desafio de Março, foram tricotadas do lado do avesso, em liga, com agulhas 2,00 mm.

A que conclusão cheguei?
O meu método preferido, é tricotar em meia, do direito e com agulhas 2,5 mm - as minhas mini circulares.
As meias ficam-me justas, sem que fiquem apertadas.
Em versão soquete, porque não gosto delas altas - quando dobradas pelo calcanhar já alcancei a biqueira, é altura de começar o cós (ver foto)

Qual o teu método preferido para tricotar?
Soquetes ou pelo joelho?
Como são as tuas meias ideais?






sábado, 21 de maio de 2016

Luz





Foi esta luz, este pôr do Sol o responsável por a minha casa ser exactamente aqui.

São fugazes minutos por dia, mas que me enchem a alma.



segunda-feira, 16 de maio de 2016

A Rotas das Linhas do Porto na contagem decrescente




A "nossa" primeira Rota das Linhas em Lisboa soube-nos a pouco. Foram poucas semanas depois que falamos em repetir o encontro. Mail para cá, mail para lá, o próximo seria no Porto, a terra da Ana.
Parecia que faltava ainda tanto tempo, e é já daqui a duas semanas.

Muitas de vocês nos disseram que gostariam de ter participado. Ora bem, desta vez decidimos abrir o "evento" a quem se queira juntar.

A Ana é uma querida e elaborou o "programa"




Porque eu e a Paula vamos de Lisboa e a Naná de Faro, o avião não espera por nós, nem nós queremos deixar nada para trás.
Ás 10h é a hora que prevemos encontrar-nos no Metro da Trindade, podes acompanhar-nos o dia inteiro ou juntar-te a nós em qualquer paragem (mas não nos peças para esperar...).

Um conselho da Ana - calçado confortável (que as calçadas do Porto são mais irregulares que as de Lisboa).

Juntas-te a nós?
É de hoje a 15 dias...





quarta-feira, 4 de maio de 2016

160 ■ ♥ ■ ♥





Depois do último quadrado acabado, foi "testada".

Lá ficou, do avesso e de pontas por rematar...



sábado, 23 de abril de 2016

A vida real




Demasiado tempo desde a última vez que aqui escrevi.

Parece-me (tenho a certeza) que desde carreguei pela primeira vez no botão publicar neste blog nunca tinha estado tanto tempo sem "novidades".

A vida real (e a profissional) tem abalroado por completo a minha vida virtual e criativa.

Sabem aquelas alturas em que não nos importamos de ter mais "trabalho" no imediato a pensar que no médio e longo prazo ficaremos mais libertas?
E quando depois desse "esforço" ficamos ainda com mais trabalho?

E quando todas aquelas pequenas coisas que podem correr bem, correm mal?

Nada de grave.
Nada de muito importante, mas que nos desorganiza, nos altera as rotinas, nos rouba o tempo para aquilo que gostamos de fazer.
Diz o ditado que "não mata, mas mói", e é bem verdade.

As minhas ultimas Meias de Março (que só foram acabadas em Abril) continuam com as pontas por rematar...

A manta que tem acompanhado os meus serões, tem avançado tãaaaaaaaaoooooo lentamente...


Se há dias (noites) em que consigo unir 3 ou 4 quadrados, no seguinte adormeço de agulha na mão ainda antes de completar o primeiro.

É esta a vida real.

Já ouvi dizer que quando abandonamos (ou reduzimos a presença) nas redes sociais, quem sente mais a falta somos nós mesmos. Não posso deixar de concordar, mas também é verdade que houve quem sentisse a minha falta...

Aos que que telefonaram, enviaram mensagens e mail´s, um beijo grande.

Não fugi, não me fui embora, e têm-me feito tanta falta os meus 30 minutos de linhas por dia...